Forum




Relogicon






Há diversas maneiras de se fazer cada coisa
Algumas são boas, algumas são ruins, uma é a pior e uma é a melhor.

Há diferentes quantidades de esforço que podemos exercer em cada coisa que fazemos.
Algumas não bastam, outras são demais e uma é suficiente.



I

A atual situação é insustentável; vivemos em um mundo finito, com recursos finitos, e temos como objetivo o crescimento contínuo. Há, sem dúvida, um momento no qual a expansão humana excede sua sustentabilidade. Quando isso acontece, a infelicidade cresce continuamente – limitada apenas pela quantidade de indivíduos – até que o equilíbrio seja restaurado através de mudanças inevitáveis. Essas mudanças, como todas as coisas, podem acontecer de muitas formas.

Somos divididos e nos dividimos de diversas maneiras. As diferenças entre as pessoas podem separar, e as semelhanças derivadas destas diferenças podem unir. Nós decidimos quais diferenças ou semelhanças utilizar como referência para nos separar ou nos unir. Origem genética, religião (ou a ausência da mesma), sexo, preferências políticas e poder financeiro, entre outros, são aceitos como fatores que definem os grupos dos quais fazemos parte ou aos quais nos opomos. Seja como for, local de nascimento é o principal fator utilizado para discriminar, categorizar e separar.

Ninguém tem a chance de escolher o próprio local de nascimento. Para a maioria das pessoas, isso define as regras que rejem as suas vidas inteiras, independentemente do que essas pessoas acham que é certo. Cada sociedade é governada por uma grande quantidade de regras, desconhecidas pela maior parte de sua população. Entre essas regras, que são, em teoria, geralmente boas e justas, existem, sem dúvida, algumas leis que defendem os interesses de certas partes de cada sociedade de uma maneira injusta.

Se alguém discorda dessas regras, as únicas alternativas são: mudar as leis, desrespeitar as leis ou tentar ser aceito por uma outra nação (se é que existe alguma que funciona da maneira que essa pessoa acredita que uma nação deveria funcionar); nenhuma dessas é uma tarefa fácil.

É inegável que a vida pode ser pior do que é.

É igualmente inegável que existam modos melhores de nos organizar; modos que geram menos problemas e mais resultados positivos. Existem modos melhores de viver e todos desejamos viver da melhor maneira possível. O melhor que cada pessoa pode fazer é ser parte do processo que transforma este mundo no melhor dos mundos.

Para transformar o modo em que a sociedade funciona, normalmente é necessário escolher entre reforma e revolução. A reforma é lenta e funciona respeitando os limites impostos pelos complexos acordos e situações que essa pretende melhorar. A revolução é rápida, forçada e não precisa respeitar nenhum tipo de acordo ou norma. Nós temos uma outra proposta.



II

Mudar o país no qual você vive atualmente, para que ele se torne mais como você acredita que ele deve ser, significa que esse país se tornará, consequentemente, menos como alguma outra pessoa acredita que ele deve ser. Essa pessoa, e todas as outras que concordam com ela, podem e provavelmente irão exercer esforços para mudar o país de maneira que ele se torne mais como elas desejam, e menos como o que você deseja. Esse conflito é interminável se continuarmos nos agrupando baseando-nos em local de nascimento. Isso era inevitável no passado, quando a comunicação era duramente limitada e migrar era impossível para a maior parte das pessoas. A tecnologia moderna muda essa situação.

É impossível encontrar equilíbrio e alcançar a máxima eficiência em qualquer atividade se as pessoas nela envolvidas não conhecem ou não concordam com as regras que a governam. As pessoas devem concordar conscientemente sobre como elas farão algo antes de começar a fazê-lo se quiserem alcançar o melhor resultado. Ignorância e discórdia são as raízes da maior parte dos problemas.

Essa aceitação consciente de certas regras é fundamental para o sucesso de qualquer coisa que um grupo de pessoas decida fazer. Infelizmente, isso não é possível quando se trata do mais importante dos acordos: as leis que um país força cada um de seus cidadãos a seguir.

Local de nascimento já não é aquilo que define o grupo do qual fazemos parte. Podemos escolher outras diferenças (e as semelhanças opostas) para decidir o que somos. Todos aqueles que concordam sobre como um país deve se comportar formam um grupo. Esse fator é muito mais relevante e eficiente do que qualquer outro para organizar nossas sociedades.

Todos aqueles que desejam transformar este mundo em uma versão melhor de si devem unir-se. E unir-se em acordo; se não há harmonia entre os geradores de mudança, não haverá harmonia no resultado.

Existe, portanto, um grupo que consiste de todos aqueles que concordam entre si sobre como este mundo pode ser melhor do que é, mesmo que muitos não se conheçam ainda. Os membros deste grupo se conhecerão utilizando a tecnologia moderna. Esse grupo se tornará uma sociedade. Essa sociedade alcançará um estado de harmonia, no qual todos os membros concordam sobre como as coisas que realmente importam devem ser feitas. Finalmente, essa sociedade se tornará um Estado de Harmonia.

Este processo é vantajoso para todas as pessoas neste planeta. É também inevitável.



III

Essa nação virtual está projetando uma sociedade ideal; uma sociedade que utiliza inteligentemente a tecnologia para providenciar alimentação, abrigo, saúde e educação aos seus cidadãos e não tem crime, corrupção ou guerras. Uma vez que este modelo tenha sido projetado, e todas as regras dessa sociedade ideal forem concordadas, essa nação virtual juntará as pessoas necessárias para levar o projeto ao seu próximo estágio.

Os membros desta sociedade estão trabalhando para encontrar unanimidade. Existem bilhões de pessoas neste planeta. Há muita discórdia, mas certamente há muita gente que concorda entre si. Essas pessoas estão distantes fisicamente, mas estão juntas no mundo das ideias e têm objetivos em comum. Essas pessoas se unirão.

Assim que todos concordarem, as regras forem estabelecidas e os recursos forem captados, essa nação virtual pedirá formalmente a criação de um Estado físico. Uma terra onde essas pessoas possam viver juntas sob regras com as quais todos concordam conscientemente. Certamente, quando as outras nações deste mundo virem a união e a harmonia das pessoas desta nação virtual, reconhecerão a honestidade e a lógica deste simples pedido. Além disso, será evidente a essas nações que a criação desse estado terá um efeito positivo em seus próprios países.

Esse processo pode parecer complexo, e alguns dirão impossível, mas há dois tipos de sociedades que são exemplos deste processo que existem atualmente no nosso planeta.

Alguns exemplos de sociedades formadas por pessoas que abandonaram suas terras de origem para viver sob novas regras são as Cidades-Livres, Comunidades, Ecovilas, etc. Se juntam em uma área, dividem responsabilidades, recursos e ideais. Almejam a sustentabilidade, felicidade e paz. No entanto, essas sociedades não são soberanas, e normalmente são pequenas demais para prosperar.

Outro grupo de sociedades formadas por pessoas que abandonaram suas terras de origem para viver sob novas regras é formado pelas nações Americanas. Durante séculos, pessoas de diferentes países Europeus, Asiáticos e Africanos migraram a um novo continente, onde construíram novas sociedades que em algum momento adquiriram soberania. No entanto, essas sociedades não almejam a sustentabilidade, felicidade ou paz – essas buscam o crescimento contínuo.



IV

Com a criação deste novo estado, que prioriza a satisfação das necessidades de seus cidadãos enquanto protege a dignidade dos mesmos e de tudo aquilo que nos torna humanos, o caminho para a resolução pacífica de todos os conflitos e problemas da humanidade será visível.

Esse estado não terá armas, exército, interesse em expandir as suas fronteiras ou em atacar outros estados, ou qualquer uma das ambições que atrapalham o bem-estar de seus cidadãos e vizinhos. Uma amizade natural com outros estados será consequência de dois fatos; é um estado composto de ex-cidadãos dos outros e seus objetivos principais são: dar às pessoas o que elas necessitam utilizando a ciência para alcançar resultados ideais e o desenvolvimento da humanidade como um todo. Quando tal estado estiver funcionando e os resultados de uma verdadeira harmonia aparecerem, será inevitável que outros grupos, que concordam entre si, organizem projetos paralelos. Por isso é necessário encontrar uma série básica de regras que protege tudo aquilo que é comum a todos os seres humanos; exemplos de tais tentativas são os 'dez mandamentos' e os 'direitos humanos', que em teoria são verdadeiros e aplicáveis (e vantajosos) a todos os seres humanos.

Quando esses pontos em comum forem encontrados, há espaço para vários tipos de personalizações; desde que as legislações específicas não firam as leis básicas, podem ser organizadas em tantas formas quanto possível. Leis de matrimônio podem ser diferentes, sistemas educativos podem ser diferentes, pode existir igualdade sexual ou não, o direito à propriedade pode ser estabelecido ou não - desde que os cidadãos daquele estado conscientemente concordem com as legislações específicas e nenhuma lei básica for quebrada, todos esses diferentes estados podem viver em paz, mesmo que algo sendo feito em um seja socialmente inaceitável em outro. É possível ter 'estados religiosos' existindo em harmonia com 'estados agnósticos', em paz, já que não existem agnósticos nos estados religiosos e vice-versa, e ambos os estados têm os mesmos objetivos principais; alimentar e abrigar os cidadãos e a busca da felicidade sem ferir o próximo. Assim que tal estado for criado, todos os outros desejarão juntar-se ao projeto.

Os países que essas pessoas abandonarem terão um efeito positivo graças a esse movimento; apenas as pessoas infelizes e que lutam contra o próprio sistema se juntarão a tal empreitada. Isso significa que o país que abandonem terá menos pessoas que se opõe aos objetivos da nação. O resultado disso será uma diminuição de conflitos. Aqueles que estão dispostos a migrar e juntar-se a esse estado de harmonia serão substituídos por pessoas que estão mais dispostas a aceitar o que eles rejeitam. Com o tempo, grandes quantidades de pessoas infelizes abandonarão suas antigas nações e se juntarão a essas novas nações pacíficas, mais próximas aos seus ideais de como a vida deve ser. As pessoas que controlam os recursos e gozam de poder na atual situação terão centenas de anos para desfrutar de suas posições, até que gradualmente se integrem nessa nova forma de sociedade, sem ter que mudar de estilo de vida para evitar conflito nem recorrer à violência para manter o poder.



V

Algumas pessoas têm fé religiosa, outras não.

Aqueles que não têm religião terão interesse no sucesso deste projeto por uma razão muito simples: é a única maneira de viver em um país onde não exista nenhuma pessoa religiosa.

Aqueles que têm uma fé religiosa terão interesse no sucesso deste projeto por uma razão muito simples: é a única maneira de viver em um país onde todas as pessoas têm a mesma fé.

Do ponto de vista do cético, é a maneira mais eficiente de buscar a verdade e de viver uma vida saudável; sem os males que eles afirmam que a religião traz à sociedade, poderão desenvolver plenamente suas ideias. E que os grupos religiosos cuidem de si, com ou sem o uso da ciência, longe das escolas e governos seculares.

Do ponto de vista do fiel, é a maneira mais eficiente de buscar a verdade e de viver uma vida saudável; sem os males que eles afirmam que a falta de fé traz à sociedade, poderão desenvolver plenamente a relação com Deus. E que Deus cuide daqueles que não têm fé, longe das escolas e governos obedientes a Deus.

Assim como na mudança com reforma ou revolução, há dualidade na fé – e normalmente, a crença em Deus é o fator principal. Sem Deus, não há fé. Mas para isso, também, nós temos uma outra proposta.

É evidente para muitos que fé é uma necessidade. Em algum momento da vida, a maioria de nós percebe que precisamos de fé para viver; é o motor que mantém a vida ativa, e lhe concede um significado. Essa necessidade de fé deve ser suprida da maneira mais eficiente. Se se deve ter fé, que se tenha fé em algo simples, produtivo e bom: saúde geral e felicidade. Fé na humanidade. Alguns reconhecem a humanidade como a única entidade real maior do que eles mesmos. Dedicar a fé a essa entidade externa e dar sentido à vida através da tentativa de melhorá-la é o modo mais lógico de satisfazer a necessidade de fé.

E nenhum Deus desaprova isso; pessoas tendo fé na criação de Deus, acreditando que o mundo que Deus nos deu pode ser pacífico e harmônico.



VI

Muita gente está falando sobre O Fim e O Julgamento, de Movimento e Mudança.

Aproveite esta oportunidade para examinar o fim do que foi e começar a viver o que é inevitável; o mundo que será. Almeje o melhor dos mundos e aja de acordo.

Se alguém fosse único, essa pessoa estaria sozinha. Felizmente ninguém é e podemos dizer que a nossa voz também é a voz de todos os que concordam conosco.

Sinceramente,

Uma parte da existência.




Junte-se a nós